DIGESTÃO DE RESÍDUOS ANIMAIS EU 200

product_457

O EU200 contém uma gama com uma fórmula especial de microrganismos aeróbios e eventualmente anaeróbios adaptados e de alto desempenho, desenvolvidos para o uso na digestão biológica de resíduos animais.

O EU200 é um produto muito concentrado. Como as bactérias são reactivadas do seu estado seco e aplicadas ao estrume, produzem-se em massa a um ritmo enorme, desenvolvendo-se a partir das partículas do estrume.

Os benefícios resultantes do uso do EU200 incluem:
– Aplicação aos sistemas de armazenamento aeróbios ou anaeróbios.
– Tratamento de resíduos em explorações de lacticínios, bovinos, suínos e de aves.
– Produção de um estrume semilíquido uniforme sem separação de líquidos e sólidos. A palha e a fibra mantêm-se suspensas.
– A fixação do nitrogénio como nitritos e nitratos para uma libertação posterior no solo.
– Controlo de odores através da degradação de compostos contributivos incluindo indole, escatol, amoníaco e sulfureto de hidrogénio.

Os micróbios presentes no EU200 suplantam os que estavam originariamente no estrume, porque estão melhor adaptados e dominam todo o processo de decomposição. Modificam a natureza do odor produzindo compostos pelo processo de hidrólise e oxidação por via biológica. Como resultado destas reacções o CBO e o CQO do estrume diminuem consideravelmente e os odores são reduzidos não só durante o armazenamento mas também quando o estrume é espalhado.

ESPECIFICAÇÕES do EU200

– Forma: Pó granular de queda livre.
– Cor: Bege a Castanho.
– Densidade: 0.5 a 0.7
– Conteúdo: Sargaço, microrganismos seleccionados e adaptados, estimulantes de crescimento, sistemas enzimáticos de largo espectro, inibidores e penetrantes da tensão superficial e micronutrientes.

Quando usado segundo as instruções, o EU200 é totalmente seguro. É inofensivo para as pessoas, para as roupas e para o ambiente, e é completamente biodegradável.

EMBALAGEM – EU200 é embalado a granel em 10 kg (sem saquetas), ou em saquetas de 250 gramas solúveis em água (40 por balde).

O estrume é um subproduto importante nas quintas de gado e a sua decomposição é uma operação importante. Recentemente muitos criadores/agricultores ao reconhecerem o valor económico do estrume e as suas qualidades como correctivo e fertilizante do solo trocaram o modo convencional de manuseamento para sistemas de armazenamento em líquido ou semilíquido que são mais eficazes no seu manejo e aplicação. Embora a armazenagem em forma líquida ou semilíquida seja funcional e eficaz, muitos criadores/agricultores depararam com certos problemas. Estes problemas divergem de sistema para sistema e são descritos a seguir.

ODOR
Numa área de armazenagem do estrume em forma líquida ou semilíquida predomina uma situação anaeróbia (faltando o oxigénio). Os odores são no entanto um problema localizado. O odor torna-se demasiado intenso quando o estrume é misturado e transportado para as áreas a semear. Por vezes após p odor se espalhar por dias causando mal-estar público e incómodo. Nas explorações de aves e porcos os níveis do odor são significativos não só perto da zona de armazenamento do estrume mas também à volta de uma grande área. Em edifícios de confinamento, mesmo com uma ventilação forçada, os odores são suficientemente fortes para causar problemas respiratórios no gado. Para além disso muitos criadores/agricultores enfrentam limitações legais devido às leis sobre a poluição que têm sido executadas com mais rigor.

PROBLEMAS COM A ACUMULAÇÃO DE SÓLIDOS
No armazenamento a líquido ou semilíquido a velocidade de decomposição do material orgânico baixa porque as bactérias presentes originariamente no estrume morrem. As poucas estirpes anaeróbias que sobrevivem não estão geralmente adaptadas para decompor muitos compostos orgânicos (como os antibióticos etc.) que são difíceis de biodegradar. Como resultado surge a acumulação de sólidos, com os componentes mais pesados a depositar-se no fundo e lados enquanto os materiais mais leves sobem para o cimo criando uma crosta de espessura variável. Os sólidos separam-se do líquido nas instalações de armazenamento e o material diverge em consistência com diferentes camadas e profundidades. A crosta pode ser partida ao agitar os sólidos mas a acumulação dos sólidos no fundo e dos lados cria um problema. Os criadores/agricultores gastam muitas horas com o tractor e demasiado combustível para libertarem os sólidos e conseguir um estrume semilíquido uniforme e bombeável. Este problema torna-se mais sério quando o material para a cama do gado como a palha é agitado, misturado ou submetido a retrolavagem para acabar com a acumulação de sólidos – os odores também aumentam. O problema torna-se especialmente grave nas fossas de estrume localizadas em edifícios de confinamento.

PERDA DE NITROGÉNIO
Durante o armazenamento, enquanto o processo de decomposição continua, é perdida uma percentagem de nitrogénio consideravelmente grande, devido à conversão de amoníaco e à formação de gases. Como indole e escatol o heterociclo de nitrogénio, que são muito ricos em nitrogénio. Estes gases escapam constantemente do estrume baixando o valor de fertilização do estrume. Também há que considerar que uma percentagem altíssima deste nutriente importante e valioso é perdida durante a agitação e ao ser espalhado nos campos. Como a maioria do nitrogénio está numa forma instável, as perdas continuam mesmo se o estrume for injectado ou incorporado ao solo após ser espalhado.

Para resolver estes problemas a EcoBacterias Europe desenvolveu uma combinação num produto – o EcoBacterias EU200 que foi concebido para ser eficaz em todas as áreas discutidas acima.

COMO REDUZ OS ODORES
O EU200 é um produto biológico altamente concentrado contendo estirpes de bactérias seleccionadas e adaptadas e enzimas suplementares capazes de iniciarem uma rápida acção biológica para controlar os odores e os compostos inorgânicos. As bactérias no EU200 são secas através de um processo especial e são facilmente reactivadas ao misturar com água e esperar um pouco pela hidratação. Quando estas bactérias são adicionadas ao sistema do estrume começam a multiplicar-se e agem sobre o odor criando compostos sendo muitos são produzidos durante o processo de decomposição. Foram identificados e agrupados como álcoois, ácidos, aminas, carbonilos, ésteres; gases como dióxido de carbono, metano, amoníaco e sulfureto de hidrogénio e os já mencionados, i.e. índole e escatole. De todos estes os gases mais penetrantes e prejudiciais são o amoníaco e o sulfureto de hidrogénio. Estão presentes não só no estrume fresco, mas também são libertados durante o armazenamento em ambas as formas líquida e semilíquida. O nível de odor varia com o tipo de armazenamento, período de armazenamento e as condições sazonais.

As estirpes bacterianas presentes no EU200 suplantam os que estavam originariamente no estrume, porque estão melhor adaptados e dominam todo o processo de decomposição. Modificam a natureza do odor produzindo compostos pelo processo de hidrólise e oxidação por via biológica. Como resultado destas reacções a carência bioquímica de oxigénio (CBO) e a carência química de oxigénio (CQO) do estrume diminuem consideravelmente e os odores são reduzidos não só durante o armazenamento mas também quando o estrume é espalhado. Não há necessidade imediata de injectar estrume ou incorporá-lo ao solo com o uso de grade de discos para o controlo de odores.

COMO LIQUIDIFICA O ESTRUME E IMPEDE A ACUMULAÇÃO DE SÓLIDOS
Quando a bactéria altamente concentrada no EU200 é reactivada e aplicada ao estrume, multiplica-se a uma grande velocidade desenvolvendo-se a partir do estrume. As partículas de fibra, palha grão etc. permanecem em suspensão. Isto resulta num estrume semilíquido uniforme com pouca separação entre os sólidos e os líquidos. A consistência uniforme do estrume semilíquido minimiza a necessidade de o agitar ou misturar na altura do transporte do tanque de armazenamento, fossa ou lagoa. Isto economiza o tempo e o dinheiro gasto no combustível para pôr a trabalhar equipamento como bombas trituradoras etc. Também reduz a perda de nitrogénio durante a agitação, mistura e arejamento e possibilita uma aplicação uniforme do estrume semilíquido bem decomposto, nos campos.

Veja aqui as decomposição estrumas porco pdf.

DOSAGEM E APLICAÇÕES
Novas explorações
Para explorações de lacticínios use 1 kg de EU200 por mês para 25 a 30 animal leiteiro (produzindo geralmente 600 kg de estrume) se 100% do estrume que eles produzem for para um sistema de armazenamento. Esta quantidade de produto é mais eficaz se adicionada semanalmente. As aplicações podem ser feitas após fazer o estrume semilíquido no fosso de recepção, nas valetas, através das travessas, ou bombeando sobre o estrume dos passadiços.

Para as explorações de bovinos, suínos ou aves, a dose é de 1 kg de EU200 para cada 30 m3 de estrume produzido por mês. Também aqui as adições semanais regulares são mais eficazes.

Explorações existentes
Quando existe uma acumulação grave de sólidos ou um grande depósito de lamas no sistema de armazenamento, recomenda-se uma dose inicial ou de purga de 2 kg de EU200 para cada 30 m3 de sólidos. Esta deveria ser uma operação única e as aplicações das dizes regulares dadas acima deveriam continuar. Esta dose de “choque” pode ser ajustada segunda a gravidade do problema de acumulação.

NOTA
Em cada actividade, as situações individuais podem necessitar de maiores adições do produto.