Manutenção do filtro de gorduras

O que é uma Caixa de Gorduras?

Um filtro de gorduras ou separador de gorduras é um receptáculo localizado entre os circuitos de drenagem do restaurante e os circuitos dos esgotos sanitários que permite a separação e a recolha da gordura, óleo e sebo (FOG em Inglês) a partir da água usada, evitando que esses materiais entrem no sistema dos esgotos municipais.

O filtro de gorduras pode estar localizado tanto no interior como no exterior do estabelecimento. Os grandes restaurantes ou cantinas escolares têm geralmente o filtro de gorduras / separador de gorduras fora das instalações, em geral na terra, enquanto as instalações com filtros mais pequenos os guardam geralmente dentro das instalações.

Por que razão devo ter uma separadora de gorduras?

A gordura, óleo e sebo provocam todo o tipo de estragos nos sistemas municipais de tratamento de resíduos, a razão pela qual algumas autarquias locais exigem que as cozinhas comerciais tenham instalado um filtro de gorduras. A maioria das autarquias estipula a quantidade mínima aceitável de gordura, óleo e sebo na água que sai do estabelecimento. Se estes mínimos forem ultrapassados, poderá haver multas.

Como funcionam os filtros de gorduras?

Os filtros de gorduras diminuem o fluxo da água que escoa das condutas de drenagem, permitindo que a água/gordura arrefeçam. Este arrefecimento faz com que a gordura coagule e flutue para o topo, enquanto os outros sólidos mais pesados caem para o fundo do filtro. A água restante passa livremente para a canalização dos esgotos da cidade.

Como procedo à manutenção do filtro de gorduras?

É crucial fazer uma manutenção correcta do filtro de gorduras para ter um filtro de gorduras a funcionar eficazmente. Se os níveis da gordura, óleo e sebo e sólidos recolhidos não forem vigiados poderão surgir muitos problemas. Problemas como obstruções e entupimentos nos esgotos e canalização, odores fétidos ou ainda pior, o depósito excessivo de FOG na canalização dos esgotos da cidade, que poderão levar a multas elevadas.

Existem várias formas de limpar um filtro de gorduras, dependendo do seu tamanho. Muitos restaurantes/ cozinhas com filtros de gorduras mais pequenos usam os seus funcionários no tratamento da manutenção dos filtros de gorduras. Isto geralmente envolve retirar com uma pá e aspirar os sólidos e a gordura, óleo e sebo acumulados e colocá-los junto dos resíduos sólidos.

A maioria dos restaurantes com filtros de gorduras maiores contrata empresas especializadas na reciclagem e limpeza de separadores de gorduras para bombearem e tratarem da manutenção do filtro de gorduras quando a acumulação de gordura, óleo e sebo atinge níveis muito altos. Esta é obviamente a solução mais fácil, mas pode-se tornar bastante dispendiosa se tiver de ser efectuada semanalmente ou mesmo mensalmente.

Uma rotina de manutenção da caixa de gorduras que qualquer restaurante ou cozinha pode implementar para controlar a acumulação de FOG e reduzir a necessidade de bombeamentos passa pelo uso de aditivos bacterianos. A bactéria para os filtros de gorduras auxilia a reduzir a gordura, óleo e sebo e outros resíduos orgânicos ao decompor e digerir biologicamente os resíduos, deixando para trás somente dióxido de carbono e água. Isto pode reduzir significantemente a necessidade de bombeamentos frequentes assim como controlar os odores emitidos pelo filtro de gorduras. Para além disso, como alguma da bactéria é levada pela água, isto beneficiará o colector municipal das águas residuais. A bactéria para os filtros de gorduras está disponível em vários tipos, mas a forma mais eficaz é a líquida como o nosso DEGRADADOR DE GORDURAS E ÓLEOS EU60 PRONTO A USAR, que pode ser vertido nos escoadouros, aplicado directamente no filtro ou ser programado em bombas de injecção automáticas para bombear automaticamente a bactéria no filtro de gorduras a intervalos preestabelecidos para um tratamento quase livre de manutenção.

Para além de manter o filtro com o mínimo da gordura, óleo e sebo, a bactéria também pode beneficiar os circuitos de drenagem das cozinhas. Ao misturar uma solução da bactéria e vertê-la nos circuitos de drenagem, poderá manter a canalização livre de acumulação da gordura, óleo e sebo, evitando os cheiros fétidos e a dificuldade de escoamento dos lava-loiças.

Para garantir a manutenção correcta do filtro de gorduras deverá guardar um registo das datas dos procedimentos de manutenção, dos bombeamentos, das limpezas, e da adição da bactéria, etc. Deverá também explicar aos funcionários que não devem deitar tudo nos escoadouros. Sempre que possível peça aos seus funcionários para colocarem no lixo os resíduos sólidos e outros. Não lave a quente as condutas de drenagem e o filtro de gorduras, ou seja, não verta água quente nos canos para escoar qualquer gordura ou outras acumulações. Isto pode evitar que a gordura arrefeça no filtro descarregando-a na canalização dos esgotos com as consequentes multas municipais. Por fim desconfie dos produtos feitos só de enzimas. Há muito produtos no mercado feitos de enzimas e tensioactivos que liquidificam simplesmente a gordura para a retirar do filtro de gorduras. Isto causará problemas no fluxo do filtro de gorduras devido à eventual coagulação e solidificação desta gordura.